Avelosa

Deixe um comentário

Avelosa é uma localidade da freguesia de Sátão.

Aqui encontramos a capela do Senhor da Boa Sorte em amplo espaço, rodeado de arvoredo, mandada construir por João Ferreira Pregueiro, por volta de 1920, talvez como agradecimento por não ter morrido com a gripe pneumónica que grassou em 1919 e fez perecer muitas famílias.

Também lá podemos observar  um cruzeiro e uma alminha à entrada da localidade.

cruzeiro Avelosa

fonte Avelosa

IMG_1717

IMG_1720

IMG_1725

Anúncios

Mestre Pedro de Albuquerque – um filho de Serrazela

2 comentários

10389193_837501272934647_7105232655534534296_n

Teotónio Pedro de Albuquerque, nasceu em 29 de Junho de 1914 em Serrazela, Vila da Igreja, concelho do Sátão. 
Desde muito novo que despertara para o mundo das artes e é assim que se matrícula na Escola Industrial e Comercial Dr. Azevedo Neves (atual Escola Secundária Emídio Navarro) onde conclui o concurso de Serralheiro – Ferreiro Artístico no ano letivo de 1936/37, com classificação final de 15 valores e distinção.
Teotónio Albuquerque foi discípulo desse famoso Mestre do Ferro que foi Arnaldo Malho e por coincidência do destino seu substituto à frente da Serralharia Artística na Escola Industrial e Comercial de Viseu desde 1948, tendo chegado a Mestre Principal.
Os seus trabalhos refletem a sua grande capacidade de moldar o ferro de forma singular e objetiva. Das suas mãos saíram alguns dos mais belos exemplares de ferro forjado artístico, em especial no que se refere a peças de decoração.
Trabalhou com igual perícia peças em cobre, latão e outros metais, em particular com motivos de decoração vegetalista – flor de liz, de papoila, alcachofra, jarro, acanto e mirto; animalista – cabeças de serpente e lobo, cavalo marinho, dragão e galo; geométrica – entrançados, torcidos e corda; e anatomia – figuras humanas.
Apesar de discípulo de Mestre Malho, Teotónio Albuquerque trabalhou com grande liberdade de inspiração, com a particularidade de irmanar elementos góticos com renascentistas, românticos com rococó ou “Arte Nova”.

Captura de ecrã 2015-11-23, às 14.58.02

Deixou um espólio artístico muito vasto, repartido entre o Museu de Grão Vasco, Câmara Municipal de Viseu, Câmara Municipal de S. Silvestre, de Serrazina, sua terra natal one colocou, entre outras ofertas, um belíssimo candelabro, dois apliques para luz indireta e um alto lampadário, tudo na sua arte específica e tão nobre.

Faleceu em 29 de Agosto de 1986 de doença incurável estando enterrado no cemitério de Viseu.
Na Rua Direita, na casa onde viveu, encontra-se hoje uma lápide em bronze alusiva à sua memória.

Captura de ecrã 2015-11-23, às 14.55.14

 

Solar dos Albuquerques

Deixe um comentário

Do lado oposto à Igreja Matriz encontramos o Solar dos Albuquerques, onde atualmente funciona a Biblioteca Municipal.

Casa senhorial, mandada construir por Aleixo Albuquerque, destaca-se pela decoração das cantarias.

Solar dos Albuquerques

Solar dos Albuquerques

Foi construído entre os séculos XVII/XVIII e tem o brasão com castelos, as quinas, as flores de lis e a coroa joanina.

Brasão do Solar dos Albuquerques

Brasão do Solar dos Albuquerques

Igreja Matriz de Santa Maria de Sátão

Deixe um comentário

Igreja de construção românica, do século XII, construída em granito com uma torre sineira central muito original.

Igreja Matriz de Santa Maria de Sátão

 

No seu interior podemos apreciar os altares em talha, já mais recentes, provavelmente do século XVIII, bem como o púlpito da mesma época.

Interior da igreja de Santa Maria de Sátão

Interior da igreja de Santa Maria de Sátão

 

Nas fachas laterais, salienta-se  a cachorrada que sustenta a cornija.

Pormenor da cachorrada

Pormenor da cachorrada

Sátão e a sua história

Deixe um comentário

A freguesia de Sátão remonta ao princípio do século XII e chamava-se Santa Maria de Sátão, estendendo-se pelos territórios das atuais paróquias de Sátão, Mioma e Avelal.

No século XVI desmembrou-se em duas: a matriz ficou a chamar-se Vila de Igreja e a anexa, São Pedro de Mioma. Só em 1951 desaparece oficialmente a designação de Vila de Igreja e ficou a designar-se Vila, Freguesia e Concelho de Sátão.

A  freguesia de Sátão, tipicamente rural e que  agrega 22 localidades, foi  e é sede de concelho, tendo recebido o seu primeiro foral em 9 de maio de 1111, outorgado pelo conde D. Henrique e sua esposa D. Teresa.

Digitalização do foral de Sátão arquivado na Torre do Tombo

Digitalização do foral de Sátão arquivado na Torre do Tombo

Ver o Foral na torre do Tombo